não nascemos ensinados

Sou particularmente fã da expressão “nós não nascemos ensinados” e das possibilidades de que tal afirmação permite. Não que considere que deva ser usada como desculpa para qualquer erro cometido - especialmente se já tiver ocorrido o mesmo no passado -, mas porque demonstra honestidade perante as nossas competências, tal como a nossa abertura para a auto reflexão e para a aprendizagem. 


De facto, não nascemos mesmo ensinados. Cometemos erros e ouvidos de quem mais sabe, para fazer melhor numa próxima vez. Muito da atitude que tenho para com a minha vida surge exatamente da perceção de que não sou perfeita, embora tente, devagarinho, ser. Não de forma obsessiva, mas de um modo que me permite evoluir como pessoa e como profissional. 

Por exemplo, se houve algo que a faculdade me permitiu perceber é que consigo fazer (quase) tudo, desde que estipule objetivos de antemão. Não devendo, no entanto, fazer planos muito definidos e tentar acertar tudo à primeira. Exijo o melhor de mim, sim. Porém, não vivo com medo de cometer erros. É preciso deixar espaço para crescer, para perceber que estou na fase de os fazer e de aprender com eles. 

Afinal, é esse o objetivo da faculdade: mostrar que consigo aprender de forma rápida e eficiente, ao mesmo tempo que lido com a pluralidade de personalidades que encontro pelo caminho. 

Ás vezes, é preciso mesmo errar de modo a ganhar consciência de que não somos perfeitos, nem temos que o ser. O que nos é exigido - e o que devemos exigir a nós mesmos - é a vontade de melhorar, de aperfeiçoar a técnica e de ficar a conhecer um bocadinho mais do mundo, e de nós.

Comentários

  1. Concordo! De facto, não nascemos ensinados, mas isso também não pode servir de desculpa para continuar a cometer os mesmos erros. É necessário cometê-los, mas também aprender com eles, e fazer com que estes nos incentivem ainda mais a sermos melhores, todos os dias.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  2. Mais uma reflexão divinal para eu colar na minha testa e me recordar de cada palavra ao longo dos meus dias.
    Uma das coisas em que mais peco é a procura obsessiva pela minha perfeição. Ora porque quero ser melhor para os outros, ora porque tracei x objectivo para mim, ora porque alguém espera que o faça.
    Porém, como escreves, na faculdade já bati muitas vezes com a cabeça na parede e já aceitei que não é tudo maravilhoso e que há coisas e metas que não dependem só de mim, estando aos poucos e poucos a adaptar esta aprendizagem à minha vida social.
    Gosto mesmo muito, muito, muito de te ler 💛

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És tão querida, Joaninha. Mas é mesmo isso! 💛

      Eliminar
  3. Concordo contigo! O problema é que esta sociedade pensa que somos obrigados a saber tudo assim que nascemos.

    ResponderEliminar
  4. Embora não goste de cometer erros - principalmente no que diz respeito à faculdade -, eu não poderia estar mais de acordo contigo :) Temos que cometer erros e aprender com eles. E vamos fazê-lo a vida toda. Faz parte :)

    ResponderEliminar
  5. Obrigada por este post, estava a precisar de ler algo assim e não poderia concordar mais contigo. Os erros são a nossa maior fonte de aprendizagem! :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário