eleven minutes

Lembro-me perfeitamente do dia em que adquiri o Onze Minutos. Tinha acabado de regressar de Londres e, como o meu pai estava de férias, consegui visitar a Feira do Livro nos jardins do Palácio Nacional de Belém. Portanto, há pelo menos um ano que este livro se encontrava na estante à espera de ser lido. 

De facto, demorei algum tempo a interessar-me pelo seu conteúdo, uma vez que há já alguns anos que não me deixo seduzir por um romance. Li bastantes quando era mais nova e, quando conheci um outro mundo completamente diferente, o das distopias e dos policiais, deixei de ler este género literário. 

Contudo, o autor, Paulo Coelho, era alguém que tinha na minha lista mental de "autores a ser lidos". As citações do seu livro mais conhecido, O Alquimista, são partilhadas muitas vezes pelas redes sociais e algumas até bastante interessantes. E, embora não tenha sido esse o primeiro livro que li dele, não posso dizer que falhei na minha escolha por completo.

Ilustração feita por mim

Onze Minutos conta a história de Maria, uma rapariga de uma cidade pequena no interior do Brasil que, quando visita pela primeira vez o Rio de Janeiro, é convidada a fazer parte de um "espetáculo" na europa. Porém, ao chegar à Suíça acaba por trabalhar numa boîte, vendo-se envolvida no mundo da prostituição. É movida pelas consequentes desilusões amorosas e pela falta de rumo que a sua vida toma. Maria, apesar de viver do sexo, rapidamente percebe que não quer desistir do amor e continuar a fingir de que não se importa com o que faz.

É, deste modo, que, através da narrativa de Maria e das breves descrições do seu diário, descobrimos a sensibilidade de Paulo Coelho em retratar uma mulher e os seus desejos, tanto do próprio corpo, como da alma. Conseguimos, também, retirar lições importantes sobre o que é amar alguém, desistindo da ideia (infantil) desmedida de posse e assumindo uma atitude menos pessimista e utilitarista do amor.

À vista disso, o autor consegue por intermédio dos diálogos (que são qualquer coisa de outro mundo) desenvolver a história e apresentar-nos diversas facetas da interação homem-mulher de forma honesta e crua, sem nunca perder o toque quase lírico e enternecido que caracteriza a sua escrita.

Porém, (e talvez seja por pormenores importantes como este que tenha deixado de ler romances) o desfecho foi demasiado previsível e quase a roçar no piegas. Muito embora o autor não tenha feito mais do que contar, recorrendo à sua imaginação, a história da mulher que o inspirou a escrever este livro.

Ainda assim, achei que li Onze Minutos na altura ideal, não só porque veio reforçar algumas perspectivas que já tinha em relação ao amor - seja de que natureza for -, mas também porque consegui provar a mim mesma que, afinal, não sou assim tão coração de gelo quanto isso.


Pontuação: 4 de 5 estrelas (Goodreads)

Comentários

  1. Já ouvi falar do livro e até que me chama a atenção. Nunca li Paulo Coelho - shame on me - até porque de há uns anos para cá perdi o hábito de ler. Tenho de o reaver.
    Obrigada pela partilha :)
    Beijinho

    Automatic Destiny

    ResponderEliminar
  2. Mas que descrição bem feita Inês, deixaste-me com imensa vontade de correr para a livraria mais próxima. Vou apontar já já o nome na minha listinha de livros que quero ler futuramente

    ResponderEliminar
  3. Mas que descrição bem feita Inês, deixaste-me com imensa vontade de correr para a livraria mais próxima. Vou apontar já já o nome na minha listinha de livros que quero ler futuramente

    ResponderEliminar
  4. O teu blog está divino. A apresentação inicial é um goal. A disposição instagramesca em blocos quadrados dá-lhe um toque organizado e interativo-atraente. E deixa-me incentivar-te a desenhares mais ilustrações para o blog! Que bela ideia, Inês. :) Está muito bonita mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Não conhecia o livro, mas adorei a tua descrição tão nem feita e cativante, Inês! :)

    ResponderEliminar
  6. Já está na minha book wishilist. Tens esse poder, Inês, basta algumas palavras e vemo-nos logo envolvidos no teor da história.
    Como tu, também sou mais dada a distopias e policiais, tendo lido o último romance por volta dos 13 anos.
    Porém, talvez esteja a precisar de ler algo deste género e o Paulo Coelho é sempre um bom autor para recomeçar...

    P.S.- Não sei há quanto tempo o blogue já tem este aspecto, mas adorei!!! Faz-me lembrar imenso um tumblr e tem muita da tua simplicidade <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mudei esta semana e fico super feliz ao saber que gostas!
      És sempre tão querida com as tuas palavras, Joaninha ♡♡

      Eliminar
  7. Não conhecia esse livro dele, nem nunca cheguei a comprar nenhum livro do autor. Mas deixaste-me bastante curiosa em relação a este :)
    R: Comprei numa parafarmácia, mas penso que podes encontrar em qualquer farmácia :)

    ResponderEliminar
  8. Nunca tinha ouvido falar deste livro dele! De outros mais conhecidos (como o Alquimista) sim, mas deste em particular não, mas suscitaste muito a minha curiosidade! Gosto muito do novo look do blog! Um beijinho
    wallflowerbyines.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Parece ser uma história pela qual teria muito interesse em ler. Tenho já um livro desse autor e gostei muito. Vou ver se encontro esse.
    Beijinhos :)
    https://dailyvlife.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Depois desta tua review, o livro está definitivamente na minha wishlist! ♥
    https://keepcalmandshopvintage.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito da forma como descreveste este livro. Fiquei bastante curiosa! Já o adicionei na minha lista para não me esquecer :D
    Beijinhos

    Joie d Vivre | Instagram

    ResponderEliminar
  12. Nunca li, mas adoro o "Alquimista", é o meu livro preferido!
    https://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário