our generation

Toda a gente consegue reconhecer a importância das redes sociais hoje em dia. Seja por motivos profissionais e de mercado, seja por razões pessoais. É um meio atualmente usado para se chegar a um fim e é cada vez mais acessível a diferentes gerações. Raras são as pessoas que, na nossa sociedade - e até uma certa faixa etária -, ainda não possuam um smartphone, que não tenham uma conta no facebook, ou que até nunca tenham ouvido falar dessa rede social.


Não sei se é possível afirmar se as redes sociais são fruto da globalização, mas uma coisa é certa: o mundo está conectado e já não há volta a dar. Então, porquê não aproveitar este meio para nos deixarmos influenciar - e atenção que disse influenciar e não manipular, são duas coisas distintas - por outras pessoas e culturas? Porque não aproveitar o que temos à nossa disposição para nos inspirarmos noutros com que nos identificamos? Ou tentar melhorar a vida de alguém, nem que seja com a partilha de uma imagem? 

É fácil apontar defeitos ao que não compreendemos verdadeiramente. É fácil dizer que a Geração Y e Z são gerações facilmente manipuladas pelos conteúdos que se encontram disponíveis, que isto das redes sociais veio contorcer a realidade e que viemos todos criar expectativas irrealistas sobre a nossa vida. 

O que é primordial, é começar a ter consciência de que não há mal nenhum em querer partilhar momentos felizes ou fotos em que nos sentimos verdadeiramente bonitas. Não para a aprovação de alguém, como muitos têm tendência a generalizar (contudo, confesso que é fácil cair no erro de só o fazer para provar alguma coisa, especialmente quando somos muito novos), mas pela simples vontade de nos conectarmos, de comunicar. Por isso é, de facto, doentio colocar duas gerações inteiras em um única caixinha, onde se consegue ler no rótulo palavras como: superficiais e materialistas. 

Porém, adivinhem... o que é que os seres humanos têm sido durante séculos? A resposta? Superficiais e materialistas. Fizeram-se guerras por poder e ganância, cometeram-se atrocidades por vontade de enriquecer, escravizaram-se pessoas e apedrejaram-se ideias. Existe tanta coisa mal neste mundo, mas as pessoas parecem concentrar-se mais na maneira como os jovens se embebedam em snapchats e instagrams, do que a educar. 

Em suma, aquilo que pretendo enaltecer é que o modo como cada um escolhe usar as suas redes sociais e quer passar o seu tempo livre, diz respeito a si mesmo. Não podemos culpar o meio pelo uso que as pessoas fazem dele. Cada um deve assumir responsabilidade por aquilo que partilha, por aquilo que diz e pelo o modo como se quer fazer representar. 

Comentários

  1. Concordo plenamente contigo. Acho que é a primeira vez que vejo alguém a "defender" as redes sociais de modo a não ser exagerado! Acho que cada um deve ter consciência do que coloca na Internet e não julgar os outros apenas porque fazem coisas que nos achamos incorrectas. Não somos todos iguais nem todos tempo os mesmos gostos, por isso, é normal haver várias opiniões sobre o assunto. Claro que existem bastante problemas que vêm das redes sociais mas, eu acho, que se soubermos uza-las da melhor maneira, só nos pode trazer coisas boas!

    Parabéns pelo post!
    Beijinhos!!
    Black Rainbow Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era exatamente aí que queria chegar!

      Obrigada (:

      Eliminar
  2. Amén! Acho que as redes sociais e a forma como o mundo está conectado são coisas super positivas e, lá está, cada um faz uso dessas mesmas coisas como bem entende. Acho que a única coisa que me preocupa é que as pessoas perderam um bocado a noção da exposição que têm... eu própria não tenho noção. E é preciso chamar a atenção para isso, especialmente junto a crianças :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário