Bordalo Pinheiro


Num dia típico de primavera, como foi a passada quarta-feira, decidi que não queria ficar em casa. Saí à rua sem planos e quando dei por mim estava na estação do Campo Grande. Foi aí que me lembrei que queria muito visitar o Museu Bordalo Pinheiro, pois embora já tivesse algumas souvernirs dele, nunca na realidade tinha chegado a entrar. 

Bordalo Pinheiro é muito português, aliás, foi ele o criador de uma personagem muito portuguesa, o Zé Povinho. Contudo, não foi por esta carismática figura que me interessei pelo artista, mas sim pela sua obra gráfica e plástica, pelos seus cartoons e também pela cerâmica que produziu. Rafael Bordalo Pinheiro foi um amante de Lisboa, tanto quanto eu sou hoje, e por sorte encontrei a exposição "Lisboa de Bordalo" - uma Lisboa oitocentista.

Com um forte carácter crítico, político e humorístico, Bordalo denúncia os aspectos mais negativos da cidade que parecia ter parado no tempo enquanto o resto da europa avançava, tal como lemos em Eça de Queirós, seu contemporâneo. Várias foram as vezes em que me surgiu um sorriso ao ler os textos que acompanhavam as suas litografias ou mesmo no jornal que fundou e publicou - O António Maria. Foi um "cronista da cidade", criticou-a e amou-a, e esperou dela o melhor, resultado da sua personalidade optimista. Foi um homem que defendeu os seus ideais com garra e persistência e usou a arte e o jornalismo como forma de exteriorizar as suas críticas.

Já na exposição permanente conheci Rafael Bordalo Pinheiro, o designer. Foi nesta parte da casa, onde o museu está instalado desde 1916, que me deslumbrei com as suas ilustrações para trabalhos publicitários e até para menus e convites com influência na Arte Nova. Essas mesmas influências, juntamente com outras, levam-nos até à cerâmica que desenhou e produziu na Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha, sendo igualmente relevante quando se fala de Bordalo Pinheiro. É, afinal, a "bata" - o artista -, o "monóculo" - o jornalista - e a "espátula" - o designer plástico - que estão expostos neste museu.



INFORMAÇÕES // 
MORADA: Campo Grande, 382 -  1700-097 Lisboa
HORÁRIO: Terça a Sábado das 10:00 às 18:00
PREÇO: 3,50€ normal ou 1,50€ com o cartão de estudante 

// Itinerary 

Comentários

  1. Fico à espera da minha visita guiada ao museu ;)

    ResponderEliminar
  2. Que boa sugestão, para uma tarde como esta, Inês :)

    ResponderEliminar
  3. Estou há imenso tempo para visitar esse museu! Acho que este post é o meu sinal xp
    LA VEINE

    ResponderEliminar
  4. Estou neste momento a estudar nas Caldas da Rainha e uma coisa muito das Caldas sem dúvida que são os souvernirs dele!

    Beijocas,
    ANDA DAÍ!

    ResponderEliminar
  5. Excelente sugestão. Já há muito tempo que não visito um museu

    ResponderEliminar
  6. Quando for a Lisboa tenho que visitar esse sítio, obrigada pela sugestão :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar

Enviar um comentário