julho'16


O que, para mim, sobressai do mês de Julho, são as pequenas coisas que me fizeram perceber que tenho bastante sorte na vida, que por muitos altos e baixos que sofra, devo continuar a relembrar-me que sou uma sortuda por ter as pessoas que tenho nela e por aquilo que se disponibilizam a fazer por mim.  

Por isso é que, agora, ao recordar-me do mês passado, consigo com certo gozo lembrar-me das queixas da minha irmã porque já não sentia os pés devido às nossas caminhadas por Londres, do conforto e dos inúmeros abraços da minha família londrina quando (e não só) recebi uma má notícia e não tinha ninguém (a minha irmã por esta altura já tinha voltado a Portugal) a quem recorrer, das videochamadas já tardias que fazia diariamente aos meus pais (pois a saudade era recíproca), do momento no Tate Mordern quando vi pela primeira vez um Picasso ao vivo (perguntem à minha irmã se quiserem, mas eu demorei quase - ou mesmo mais de -  5 horas em cada museu e galeria de arte que visitei) e, por fim, do último jantar com o meu grupo de amigos antes de irmos todos de férias.  Todas estas coisas, mesmo aquelas que me fizeram chorar, fizeram-me sentir completa e principalmente agradecida pela família que tenho (e pelos amigos). 

Mas também houve outras coisas boas em Julho, das quais pude apreciar de forma diferente e que não me importo nada de partilhar com mais detalhe.



THE GIRL WHO SAVED THE KING OF SWEDEN // 
O livro de Jonas Jonasson é simplesmente genial! Não genial no sentido de ser transformador, mas é-o por ser cativante, engraçado e super criativo.  The Girl Who Saved The King Of Sweden começa em 1961, com o nascimento de Nombeko Mayeki em Soweto, África do Sul. Nombeko, é uma rapariga dotada de uma grande inteligência e força interior que a leva a sair da sua cidade à procura de uma vida melhor em pleno apartheid, e é por estar condicionada à mentalidade retrograda do seu tempo que se vê envolvida numa caricata história, que a leva a salvar o rei da Suécia com a ajuda de três irmãs chinesas, de dois gémeos "que são oficialmente a mesma pessoa" e uma velha plantadora de batatas. É, portanto, uma história que mistura ficção com a realidade, apresentando-nos um enredo divertido e ao mesmo tempo humanista.

DISNEY'S THE LION KING //
Enquanto estive em Londres, tive a oportunidade de assistir a duas peças de teatro, Wicked e The Lion King. Das duas, gostei muito mais da que hoje vos falo. The Lion King retrata a tão famosa história do Rei Leão, onde o que sobressaí é a música, o guarda-fato e o maravilhoso cenário, que ao recordar ainda me corta a respiração. Imaginem: a peça abre com o nascimento de Simba - tal como no filme -, mas antes dele ser apresentado ao mundo animal por Rafiki - que na peça de teatro é uma personagem feminina engraçadissíma!! -, aparece um maravilho pôr-do-sol, criado através de um engenhosa cortina que vai descendo gradualmente, criando a atmosfera perfeita para a música de abertura, onde pela primeira vez vemos a surpreendente caracterização (roupa, maquilhagem, máscaras) das personagens - bem gostava de ter o dom de descrever com destreza tudo aquilo que vi durante esta peça, mas infelizmente não consigo. O resto da peça transporta-nos para a nossa infância e chega a acordar a criança adormecida em nós. Foram momentos que decerto nunca esquecerei e só desejo que vocês tenham a oportunidade de a ver, se algum dia passarem por Londres. O meu bilhete ficou à volta das 59£. Contudo, sei que se comprarem no dia ou através de uma promoção conseguem bilhetes muito mais baratos - Wicked comprei no dia da peça de manhã bem cedo e custou 30£. 

UNDRESSED: A BRIEF HISTORY OF UNDERWEAR //
Quando fui ao V&A - considerado o melhor museu de Londres - estava em exibição uma exposição sobre roupa interior/lingerie, à qual não pude deixar de visitar. Esta exposição faz parte das exposições temporárias de moda que o museu acolhe e que são pagas - o resto do museu é grátis e existem exposições que estão abertas até bastante tarde. Por essa razão o bilhete (de estudante) custou 10£ e valeu cada cêntimo! Nela podem ver inúmeras peças íntimas femininas e masculinas desde o século XVIII, completamente sem tabus. No piso superior desta exposição podem ainda ver alguns vestidos usados por celebridades na red carpet  de estilistas famosos. 

WARNER BROS. STUDIO TOUR LONDON //
Não existem palavras para descrever o meu estado de emoção quando entrei dentro de Hogwarts e as surpresas que o estúdio da Warner Bros oferece aos fãs de Harry Potter, desde todo o cenário usado nos filmes às explicações dos produtores no audioguide, que explicam com emoção e detalhe como tudo foi feito. E o mais importante é que estávamos a olhar para o adereço original, mesmo ali a três passos e não no ecrã do nosso computador, como acontece quando vemos o making off de qualquer filme. Foi a melhor atração que Londres tinha para me oferecer! Em relação ao preço do bilhete, são 31,69£. 

MARIO BADESCU FACE SPRAY WITH ALOE, HERBS AND ROSEWATER //
Este produto de beleza que tanto pode servir como tónico hidratante ou fixador de maquilhagem, foi-me dado a conhecer pelas dez mil gurus de beleza que o youtube tem para oferecer, mas que infelizmente não se consegue adquirir em Portugal, pois não fazemos parte dos países afortunados que possuem uma Urban Outfitters. Por isso, aproveitei o facto de estar em Inglaterra para dar um saltinho à famosa loja, onde acabei por o adquirir por 7 libras. O Mario Badescu Face Spray promete rejuvenescer a pele e dar o boost necessário à mesma para que se mantenha hidratada em condições adversas. Pessoalmente, uso-o depois de colocar o corretor e o blush para que estes produtos durem mais tempo e para fazer desaparecer qualquer linha indesejada, resultante da maquilhagem, e funciona às mil maravilhas. Recomendado!

REVLON COLORSTAY CONCEALER //
Num saltinho à Boots (ok, ok... em vários saltinhos à Boots) comprei vários produtos de maquilhagem, mas um que se destacou e que tenho usado todos os dias desde então, é este corretor da Revlon. Primeiro é a cor ideal para o meu tom de pele (uso o 01 FAIR), em segundo porque cobre na perfeição as minhas olheiras e em último lugar porque dura o dia todo e não é pesado na pele. E são estes pontos que fazem a chave de ouro!

NYX LIQUID SUEDE IN 03 CHERRY SKIES //
O meu batom vermelho. É assim que posso descrever este batom líquido da NYX, já que é a cor e a formula ideal para mim. Só lhe reconheço dois defeitos e um deles pode ser contornado (literalmente): o cheiro, que é bastante químico e o facto de que quando estou a comer ele parece derreter para o queixo, mas como disse este pode ser evitado, basta que contorne os lábios com um lápis para o efeito previamente ao batom.

Comentários

  1. Fico mesmo feliz que tenhas gostado do V&A Museum! Foi dos meus favoritos! E quem me dera ter ido aos estúdios do HP!

    ResponderEliminar
  2. A tua viagem a Londres foi claramente muitíssimo bem aproveitada, e fico muito feliz por isso! Quando lá for, também sei bem onde vou gastar o meu tempo: museus e lojas de maquilhagem que não temos cá xD
    Anyway, o teu comentário deixou-me mesmo feliz! Acho que por conseguir ler o entusiasmo no que escreveste, e por saber que de alguma forma aprendeste alguma coisa com o que escrevi no blog. É das melhores coisas que me podem dizer! :D

    ResponderEliminar

Enviar um comentário